Arquivo da categoria: Automação

A Segurança dos Sistemas de Domótica e Gestão de Edifícios

Com o crescimento da utilização de Sistemas de Domótica e Gestão Técnica para controlo dos edifícios, têm-se verificado um aumento dos casos em que hackers conseguem infiltrar-se e obter controlo sobre estes sistemas, causando prejuízos e danos na imagem das empresas.

Existem casos publicados de hóspedes que conseguiram entrar no sistema de domótica do Hotel onde estavam alojados e ter acesso a funções como acender luzes, mover cortinas e abrir portas de quartos, etc…

Serão os sistemas de Domótica e Gestão Técnica seguros ? 

De facto existem sistemas que são mais vulneráveis e susceptíveis a este tipo de ataques, mas o principal problema é que na grande maioria dos casos relatados não foram tomadas quaisquer medidas de protecção de forma a dificultar e minimizar a exposição destes equipamentos a utilizadores mal intencionados.

Em muitas instalações, sobretudo Hoteis, onde é muito fácil aceder ao BUS (O BUS é a linha de comunicações, por cabo ou sem fios, que interliga todos os equipamentos de domótica de um edifício e por onde são enviadas todas as ordens de comando a todos os equipamentos.) e relativamente fácil para qualquer pessoa que tenha alguns conhecimentos na área das tecnologias, conseguir ler as ordens que são enviadas e enviar ordens para comando de Luzes, Estores, Climatização, Portas e até Sistemas de Segurança de todo o edifício.

Nem todos os sistemas são assim !

Muitos destes casos ocorrem quando os sistemas instalados não são adequados ao tipo de utilização a que se destinam. São por vezes utilizados produtos e soluções que por desconhecimento, mau aconselhamento ou orçamentos limitados não garantem a segurança e acabam por ser aplicados nestes edifícios passando uma má imagem dos sistemas de domótica e gestão técnica.

É possível garantir maior segurança !
knx secure
O protocolo (BUS) KNX protege os edifícios contra este tipo de ataques. Este protocolo, que conta agora com um poderoso algoritmo de encriptação (AES128 CCM), está preparado para impedir a descodificação e o envio de ordens não autorizadas para o BUS.

De facto este sistema sempre foi o mais seguro e fiável do mercado já que são impostos aos fabricantes de produtos KNX, critérios muito rigorosos , que garantem a sua qualidade de fabrico e obrigam ao cumprimento de um conjunto de normas para maior protecção contra ataques.

Para garantir a segurança, é necessário que exista, desde a fase do projecto, um acompanhamento e aconselhamento da solução a instalar e que a sua integração é executada por técnicos certificados, designados por KNX Partner.
KNX+Logo+Partner
Resumidamente
Existem vulnerabilidades neste tipo de sistema, mas estas vulnerabilidades podem ser colmatadas com recurso a produtos de qualidade e técnicos capazes de projectar e instalar estas soluções que, acima de tudo, são excelentes ferramentas para garantir a segurança e o conforto das pessoas e também permitir uma gestão mais ecológica dos recursos, diminuindo a factura energética do edifícios. clean-technology

A Fsys é KNX Partner e estamos aptos a desenvolver o seu projecto de forma segura e consciente das suas necessidades.

Consulte-nos !

#fsys #domótica #knxsecure #IoT

Detecção perimétrica por cabo sensor para vedações

detecção_perimetrica

Estes sistemas são utilizados para detectar a entrada de intrusos em zonas vedadas.
Adaptam-se a todo o tipo de locais, como terrenos em habitações, terrenos agrícolas, stands de carros e grandes áreas industriais, como depósitos de armazenamento, unidades de produção, etc..
Trata-se de um sistema muito eficaz, imune a falsos alarmes e que permite uma vedação efectiva de vastas áreas.

video-marketing
Vídeo de demonstração 

Em caso de corte ou tentativa de subida da vedação é despoletando o alarme e em conjunto com um sistema de câmaras de vigilância é mostrada no ecrã a imagem correspondente à zona onde foi detectado o alarme de forma a permitir o seguimento do intruso.

detecção para cercas

Modo de funcionamento

Estes sistemas são bastante mais fiáveis que as tradicionais barreiras de infravermelhos ou detectores exteriores e não requerem uma manutenção tão frequente.

Mais informações em info@fsys.pt ou no nosso site !

Cozinha Robot

A Moley Robotics (Moley.com) está a prever lançar a primeira cozinha robotizada já em 2017.

“Cozinhar será tão fácil como escolher uma receita de uma base de dados e esperar.”

Estas cozinhas serão equipadas com um painel touch screen, um par de braços robotizados, placa eléctrica, forno e uma prateleira para armazenar os ingredientes.

Os braços robóticos serão retrateis para permitir o uso normal da cozinha quando não estiver a ser utilizado o modo autónomo.

 

robot kitechen

Este robot cozinha terá um preço de lançamento de aproximadamente € 67,000 mas espera-se que este valor baixe para cerca de € 26,000 nos próximos 4 a 5 anos.

screen shot 2015-11-19 at 3.34.53 pm

Mais informações em http://www.moley.com/

“Casa inteligente” para abelhas

Os sistemas de gestão automática e monitorização de explorações agrícolas são excelentes ferramentas para gerir, desenvolver e melhorar a produtividade.

Estes sistemas monitorizam constantemente factores como Temperatura, Luminosidade, Humidade Relativa, Humidade do solo, Níveis de depósitos ou poços, etc.. e tomam imediatamente, de forma autónoma, as acções correctivas necessárias.

Blue Hill at Stone Barns

A medição e correcção imediata destes parâmetros permite que estas explorações sejam mais produtivas e mais eficientes ao nível dos consumos energéticos e também no que diz respeito ao consumo de outros recursos como a agua, fertilizantes, etc..

Estes sistemas estão constantemente a adaptar-se mediante a altura do ano, as condições climatéricas ou a etapa de desenvolvimento da produção providenciando as condições ideais para o desenvolvimento das plantas.

 

Mas não é só para a agricultura que estes sistemas são utilizados !

Recentemente foi desenvolvida uma “Casa inteligente” para abelhas.  As colmeias estão equipadas com sistema de climatização e sensores que detectam ameaças por parte de animais predadores, roubo, fluxo anormal de produção,entre outras e os resultados são promissores.

Esta notícia foi publicada no P3 – Público e pode ser lida na integra Aqui !

Com 25 anos, Miguel Bento, natural de Penamacor, viu-se confrontado com um conjunto de colmeias vazias como herança de família, que povoou com um enxame oferecido por um primo.

Texto de Lusa • 30/06/2015 – 16:02

Um jovem engenheiro electrónico, que herdou umas colmeias vazias do avô, criou na Incubadora de empresas da Universidade de Aveiro uma “colmeia inteligente” climatizada, que permite controlar o estado dos enxames à distância.
Com 25 anos, Miguel Bento, natural de Penamacor, viu-se confrontado com um conjunto de colmeias vazias como herança de família, que povoou com um enxame oferecido por um primo, mas depressa se deu conta de que perdia dezenas de milhares de abelhas por ano. Engenheiro com mestrado em Electrónica e de Telecomunicações pela Universidade de Aveiro (UA), Miguel Bento resolveu por isso unir o interesse pela apicultura ao conhecimento na área da electrónica e criar um sistema que pudesse melhorar as condições de vida das abelhas, bem como facilitar o trabalho dos apicultores.

Bento juntou-se a Joel Oliveira e André Oliveira, dois outros ex-alunos da UA, nas áreas de gestão e design de produto e assim nasceu na Incubadora de Empresas da Universidade a Apis Technology, para desenvolver uma “colmeia inteligente”. Ao fim de três anos de trabalho chegaram a um protótipo que possibilita a climatização automática do ambiente das abelhas, evitando mortes desnecessárias resultantes das variações de temperatura, e dotado de um sistema de monitorização que permite que os apicultores tenham acesso, em tempo real, a tudo o que se passa com os seus enxames.

A tecnologia de monitorização consiste num sistema de controlo e numa caixa de sensores colocados no seu interior, que são conectados a um sistema central que agrega os dados de várias colmeias, se for o caso, e os envia para uma plataforma Web. A solução permite controlar o estado dos enxames e evitar visitas regulares e desnecessárias às colmeias, poupando tempo e recursos, recebendo alertas quando existe uma alteração do fluxo de abelhas ou da produção de mel, se suspeita que houve tentativa de roubo ou ataque, ou existem indícios de que as abelhas possam estar sob a propagação de alguma praga ou sob o ataque de predadores, como a vespa asiática.

GTC – Gestão Técnica de Edifícios

O que é  GTC – Gestão Técnica Centralizada ?

O GTC, Sistema de Gestão Técnica Centralizada, também conhecido por BMS, Building Management Systems é um sistema centralizado que recolhe e envia diversas informações a vários sub-sistemas instalados num edifício tais como climatização, águas quentes sanitárias (AQS), contadores de energia, iluminação, segurança, entre outros.

A gestão técnica centralizada, GTC, pode acrescentar uma poupança no consumo energético e tem que ser encarada hoje como um elemento essencial na estratégia de eficiência energética e gestão de custos de um edifício.

Os edifícios consomem cerca de 40% da energia em Portugal !

Para atingir as metas da UE para os próximos anos, onde em 2020 os edifícios deverão ter um balanço energético muito próximo do “0” e produzir a quase a totalidade da energia que consomem via fontes renováveis, é necessário Medir e Racionalizar toda a energia utilizada nos edifícios para o seu funcionamento.

Garantir a eficiência energética de um edifício não passa apenas por ter equipamentos eficientes, depende também da forma como é feita a gestão dos consumos de energia.

Os sistemas de Gestão Técnica Centralizada (GTC) são a solução para assegurar uma gestão adequada, permitindo monitorizar, controlar, comandar e gerir, de forma integrada, as várias instalações existentes no edifício.

Um sistema de gestão técnica centralizada (GTC) bem dimensionado e operacionalizado pode acrescentar uma poupança de até 24% face às tradicionais instalações. A poupança poderá ainda ser maior se este tipo de sistema for integrado e sejam criados algoritmos que permitam ao sistema auto gerir-se de acordo com os elementos externos como o clima e internos,tais como, os hábitos de utilização de climatização, iluminação, etc…

A gestão técnica centralizada tem de ser encarada hoje como um elemento essencial na estratégia de eficiência energética de um edifício e o seu papel tende a ganhar cada vez maior importância à medida que caminhamos para maiores níveis de exigências.

Este tipo de sistema é dimensionado e adequado à utilização de cada edifício e portanto é aplicável não só a prédios de grande envergadura mas também a escritórios, restaurantes, parques de estacionamento, indústrias, etc.. permitindo reduções energéticas consideráveis e consequentemente uma redução efectiva nos custos de exploração.

Dez passos para uma gestão energética sustentável:

  • Centralizar e visualizar a informação relevante dos consumos energéticos através das tecnologias mais avançadas disponíveis;
    Comparar, de forma analítica e crítica, os consumos energéticos registados com valores de referência internos e externos – edifícios com uso equivalente devem ter consumos energéticos semelhantes;
  • Avaliar os comportamentos energéticos estáticos e dinâmicos de modo personalizado para cada edifício e tendo em conta todos os custos durante o ciclo de vida do edifício;
  • Aplicar as fontes de energias renováveis, considerando os factores ecológicos e económicos;
  • Minimizar drasticamente as emissões de CO2, assegurando uma protecção sustentável do meio ambiente para o futuro;
  • Utilizar equipamentos e materiais certificados oficialmente com rendimentos garantidos, e aplicar soluções tecnicamente inovadoras;
  • Interligar todas as instalações técnicas do edifício, através de sistemas de automação abertos e flexíveis;
  • Harmonizar as tecnologias da envolvente do edifício, a gestão técnica e a engenharia de sistemas;
  • Alertar os utentes para o uso racional e responsável das instalações, aumentando a sensibilidade pelos consumos de energia;
  • Assegurar a redução dos custos de exploração;

A Fsys dispõe de técnicos e parceiros que poderão ajudar na elaboração e execução de um Projecto GTC para o seu edifício.

Contacte-nos !

Domótica – A tecnologia ao serviço da eficiência

Domótica
A tecnologia ao serviço da eficiência
No que respeita ao desempenho energético, a Domótica é a ferramenta indicada para optimizar a performance dos sistemas de iluminação e climatização da sua casa. Permite elevados padrões de conforto, como resultado da minimização dos sistemas activos de controlo, e a poupança decorrente da eficiência energética. Controle a sua casa à distância de um comando remoto, da Internet ou do telemóvel e poupe no orçamento mensal.
Casas Inteligentes

O conceito de domótica está intimamente relacionado com o de casa inteligente, uma vez que permite controlar informaticamente os dispositivos electrónicos de forma a automatizar as rotinas e tarefas diárias de uma casa. A gestão integrada dos diversos equipamentos, nomeadamente de climatização, segurança, iluminação, som, electrodomésticos, é centralizada é controlada por qualquer circuito de iluminação (utilizando interruptores), teclado, comandos remotos, telefone, ecrãs tácteis, internet, programas temporizados ou ainda informação proveniente de sensores e eventos.

As inúmeras vantagens aliam a comodidade de poder efectuar uma chamada para casa para se certificar de que realmente desligou o aquecimento ou a poupança resultante da racionalização e optimizado ao máximo do consumo de electricidade.

Poupança até 45%

A domótica é utilizada nas habitações e em outros locais como hospitais, edifícios de serviços, escritórios, instituições bancárias, unidades hoteleiras, lares de idosos, infantários, escolas, cinemas, teatros, autocarros, aviões, entre outros grandes e pequenos ambientes.
Esta versatilidade, resulta eco-eficiencia e na poupança até 45% da factura energética.

A par da poupança efectiva dos sistemas de domótica, está provado que o acesso a informação imediata e estatística sobre os consumos de energia leva à poupança entre 5 a 15%, apenas com a alteração de hábitos, como apagar as luzes ou isolar a casa. De facto, qualquer sistema domótico permite verificar o consumo de energia instantâneo e mensais em €/hora, por exemplo, e, desta forma, detectar excessos e corrigir alguns hábitos antes do envio da factura pala EDP.

Mais informações em :www.fsys.pt | info@fsys.pt

Texto original publicado em : http://www.planetazul.pt/edicoes1/planetazul/desenvArtigo.aspx?c=3077&a=18072&r=37